Páginas

24 de jul de 2010

Cartas Esquecidas


Às vezes eu me pergunto: quando você vai perceber que meus sentimentos por você são o que são e não importa o que teu coração diga, eles não mudarão. Será que eu minto tão bem/ Ou você que se engana tão facilmente?
Uma ligação para acalmar minha alma, uma mensagem para acalentar meu coração, um recado para me fazer sorrir, um mero olhar para que eu possa lhe contar sobre o meu dia, por que não pode ser tão simples? Se somos livres para irmos a onde queremos, por que nos prendemos tão facilmente as nossas vontades? Elas são tão fúteis. Por que esperamos por pessoas que nos decepcionam a cada dia mais e mais? Que tipo de caminho essa falsa esperança vai nos levar? Tantas dúvidas para complicar o que é tão fácil de compreender.
Enquanto me deixo levar, como uma criança inocente, pelo que você diz ao pé do meu ouvido, sinto que sou uma pergunta sem resposta perdida entre suas palavras e gestos. Como não acreditar em suas mentiras se é tão fácil aceitar o que você diz...
Como queria aceitar as pessoas, que você pudesse ver o quanto é importante para mim este seu sorriso mais sincero. Queria que você visse o quanto sou livre e o quanto você me afeta, mas a verdade é uma só: não me importo com o que os outros pensam, porque já fui magoada tantas vezes que meu coração não existe mais, não sinto mais nada, minha alma é imune a emoções alheias.
Quando penso em dizer tudo o que quero, parece que os sentimentos não passam de um monte de bobagens engasgadas na garganta e que são jogadas ao vento. Estes pensamentos são tão inquietantes. Eu não deveria sonhar acordada, tão pouco deveria querer dizer o que penso deste jeito tão direto.
No dicionário ainda não encontrei a palavra certa que possa representar esta perturbação tão intensa que faz meu coração parar de bater e eu sentir que estou perdida entre o Céu e o Inferno. Mas mesmo que eu encontre aquela palavra, creio que não serei capaz de dizê-la, não conseguirei entendê-la. Qual seria o melhor termo para dizer neste momento em que o sentimento invade meu coração e transborda? Será que devo dizer tudo o que decorei pacientemente na frente do espelho? Ou seria melhor apenas olhar e calar?
Quantas frases foram ensaiadas? Quantas palavras complicadas foram usadas? Quantos significados vazios tentaram codificar o que sinto? Acho que não há o que dizer, e mesmo que houvesse não há palavras suficientes para que eu possa fazer você me entender.
Por quanto tempo eu fiquei esperando, procurando, tentando lhe dizer coisas das quais nem eu compreendia?
Aprendi a soletrar e escrever versos ritmados de um poema camoniano, deslizei a pena diversas vezes sobre o papel, ouvi músicas que me falavam de você em cada palavra, mas nada disso pode explicar o que penso de você, de qualquer forma, nada que você diga vai ser suficiente para que eu me satisfaça.
Sabe o quanto dói esperar pelo olhar acolhedor de alguém? Sabe onde dói mais na ferida? Provavelmente você já tinha experimentado esta sensação, mas mesmo assim, você me manipula esquecendo que eu também sinto. Você acreditou mesmo que este jogo duraria até você se cansar de mim? Você achou mesmo que eu iria aceitar as regras sem hesitar? Eu não sou seu brinquedo que o consola nos momentos de fraqueza e sorri quando todos choram, então: ou olhe nos meus olhos, ou me deixe em paz.
Diante do seu olhar de vidro, aqueles que refletem meus sentimentos tão indiferentes, posso ver o quanto estou presa ao seu ser, sou prisioneira da curiosidade de te conhecer. Mas isso já não é capaz de me satisfazer, não consigo mais disfarçar a verdade. Quando ouço sua voz ainda me arrepio, mas a esperança de ser tocada por suas mãos com carinho já não existe mais, não quero mais pensar que basta um leve movimento seu para que o meu mundo gire, isso ainda me irrita. Então: ou me sinta como sou, ou não chegue mais perto de mim.
Não me importo com o que você quer ou espera de mim, já estou exausta de tanto acreditar nas ilusões que você criou várias vezes sem perceber o quanto eu me feria, a fé não é minha maior crença e as minhas virtudes são apenas a impaciência e a inconstância de um ser cansado de ser manipulado e domesticado por desejos alheios. Então porque insisto em querer tanto uma única coisa? Isso não importa mais. Ou você me aceita como sou, ou mude você, porque não serei aquela princesa dos seus sonhos, não aprendi a ser tão sonhadora e indefesa. Eu caminho contra o vento para sentir a brisa cortar o meu rosto e nado em mares abertos para desvendar seus mistérios, não quero ser como todos os outros.
As suas mentiras, que nutrem esta minha alma tão desprendida e ferida pelos olhares alheios, está matando aquilo que eu prezo tanto: a minha certeza de que posso caminhar sozinha! Eu já pedi para que você mentisse para mim tantas e tantas vezes, mas não tenho mais forças para acreditar naquilo que não posso sentir.
Os passos no corredor vão ecoando suavemente dentro de mim enquanto abro os olhos para a realidade que sempre esteve ali, destroçando minha vida, aquela música produzida pela batida do meu coração fundido ao sapato trincando o chão me faz engolir as lágrimas, esta sensação vai escorrendo pelas sombras do passado remoto e penetram na alma, consumindo toda aquela esperança que eu alimentava de reencontrar o meu caminho.
Por favor, quando você sair por esta porta, leve meu coração com você, porque ele já não me pertence mais, ele já não me serve para nada porque não preciso dele quando não estou com você e mesmo que você nunca mais volte, mesmo que não olhe para trás e que apague minha imagem de sua memória, ainda sim , leve meu coração, porque assim, de alguma forma, ainda estarei ao seu lado.
Sentada naquele corredor escuro, como uma rosa despedaçada em dias frios, chorando sentimentos escondidos deixando as emoções vazarem pelos olhos cansados de tanto esperar por alguém que nunca vai voltar, eu desejo intensamente ouvir sua voz fraca acariciando-me, dizendo qualquer desculpa para que eu possa perdoar. Lembrando do exato momento em que mandei você embora daquele jeito, exigindo que saísse de uma vez da minha vida, eu sabia que iria ser assim: eu gritando, você berrando, eu chorando, você partindo. Mas a culpa não foi só minha; você feriu meu orgulho e sabe disso.
Por favor, quando você descer as escadas a passos largos, com pressa e sem voltar o olhar para trás, leve meu coração com você. Eu não me importo que seja você quem vai levar, eu não preciso dele quando não sinto você aqui, ao meu lado, segurando a minha mão. Isso, na verdade, me irrita, você me irrita com esta sua atitude egoísta de não se importar em arrastar meu coração escada abaixo, mas o que mais me irrita é saber que eu quis que fosse assim, acho que choraria se você recusasse meu coração.
Quando você trancou mais uma porta deste imenso corredor em que vivo, fechou para sempre meu coração com você! Mas não tem problema, eu não preciso do meu coração se não é para te amar.

2 comentários:

Volte sempre!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
♥Layout desenvolvido por por Marcella Kovacs todas as artes foram feitas por mim, exclusivas para o blog A GAROTA E O TEMPO. © 2013 • Powered by Blogger • Todos os direitos reservados • Melhor Visualizado no Google Chrome • NÃO COPIE PARCIAL OU TOTALMENTE O LAYOUT. Topo